sexta-feira, 24 de abril de 2015

O número de idosos na America Latina

A expectativa de vida da população mundial vem aumentando, isso de deve em parte as melhorias sanitárias, maior acesso a informação, educação e tratamentos de saúde. 

Na América Latina este quadro também vem se repetindo, estudos mostram que em 2035, o número de idosos com 60 anos ou mais na região deve superar o de pessoas na faixa de 0 a 14 anos. um quatro da população da região terá mais de 60 anos no meio deste século.Calcula-se que o número de sexagenários, que atualmente é de 63,1 milhões (10% da população total), será triplicado e chegará a 187 milhões em 38 anos.A priori o quadro parece bom, contudo é preocupante devido ao alto número de idosos pobre e doentes.

Faltam políticas publicas adequadas para garantir a este idoso uma vida mais digna e saudável. Entre as enfermidades crônicas não contagiosas que mais matam estão doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, câncer, doença pulmonar obstrutiva (DPOC), obesidade, o sedentarismo, o cigarro e o exxesso de sal, gordura e açúcar .
"A definição de saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS) inclui bem-estar físico, mental e social. E essa é uma combinação entre genética e ambiente". Vale salientar que o aumento da expectativa de vida reflete também no aumento dos gastos de saúde e previdência social e quase nada está sendo feito para evitar o colapso destes sistemas cada dia mais sobrecarregados.

Os países com maiores taxas de população sexagenária em 2050 serão República Dominicana (39,2%), Porto Rico (31,5%), Chile (30,3%), Costa Rica (29,8%) e Brasil (29%).

Nenhum comentário:

Postar um comentário